Pessoas
Deixe um comentário

7 Princípios para manter uma Relação à distância

Mais uma crónica bem fresquinha. Com este frio não se espera outra coisa, não estivesse eu de aquecedor aos pés. Mas falemos daquilo que me traz aqui. Relacionamentos à distância, algo que eu sempre disse que difícilmente me aconteceria. E agora, PIMBA! Vida difícil esta hein? Que quando a coisa se torna bem boa, tira-me o tapete, e leva-me o rapaz como se do Alibábá se tratasse, para o outro lado do planeta. Passada a fase da negação chega o momento de enfrentar a situação de frente e torná-la em mais uma aventura. (aqui para nós, ele merece tudo)

A verdade é que já reparei que à minha volta muitas são as pessoas que saem de Portugal para trabalhar fora e acabam por deixar o parceiro no país de origem. Não é fácil mas investir na carreira é importante e é aqui que a inteligência emocional tem de entrar.

E nesta altura, no alto dos meus 29 anos, que partilho com vocês as minhas 7 regras para manter a sanidade emocional quando se está apaixonado e se tem uma clara noção que não nos poderemos ver durante uns meses. Se ainda não tinham percebido que o meu lado racional ganha sempre ao meu lado emocional, vão conseguir perceber agora.

7 princípios para manter uma relação à distância (let’s go!)

1- Não ouvir música romântica, puxa demasiado ao sentimento e neste momento ser superfícial é o que interessa, ouçam música bem mexida e aproveitem para abanar o esqueleto. Está comprovado cientificamente (acho eu) que enquanto dançamos libertamos uma hormona qualquer que nos dá um sorriso na cara. Precisamos disso;

2- Não ver filmes românticos. No último domingo na RTP1 deu o filme sobre a Rainha Vitória. Diria à partida que o nível de romantismo seria nulo. a) porque só de ver aquelas roupas tão aristocráticas fico com falta de ar, anatomicamente falando (o romance não entra aqui, muito menos de forma poética) e b) as relações na época eram supostamente mais formais, com imensas vénias (os glúteos daquela malta deviam estar impecáveis) e não haveria cenas tórridas de amor. Só que não! O romance da Rainha vitória com o Príncipe Alberto, principalmente a parte em que ele se atira em seu socorro e é alvejado, fez-me ficar com a lágrima no canto do olho, como canta o Bonga e muito bem. Isto não dá jeito que aconteça. Xo filmes românticos e lamechas!

3. Ler muito, revistas e livros. Distraem o cérebro e cansam as pálpebras. Escusado será dizer que ler romances é estritamente proibido, até porque estarão com tanta vontade de chegar ao Happy Ending que irão virar nerds sem necessidade. O meu tema favorito do momento é livros sobre militares e agentes secretos. Muitos tiros, muita estratégia e acabou a conversa. Perfeito!

4. Sair com os amigos, dar muitas gargalhadas dá sempre jeito. Sem tempo para conversa fiada. “Como é que vão as coisas?”, “Optimamente bem!” OVER! Não vale a pena se porem com conversas com muitos “ses”, vão acabar por ouvir aquilo que não querem, tipo “eishh ele vai estar fora muito tempo”. Dá vontade de responder “A sério? achas que já não contei os dias?” Só faltaria riscar linhas na parede. Por favor!

5. Focar no trabalho – o melhor é trabalhar, para ter dinheiro para comer até ele voltar certo? E se o campo do Amor está temporariamente em stand-by, pelo menos fisicamente, o melhor mesmo é dar o litro no trabalho e sermos os melhores no que fazemos.

6. Fazer exercício – quem é que não quer estar top na figura depois de tanto tempo sem qualquer contacto físico? Pois bem, estipulem os vossos objectivos e vão ver a cara dele quando chegarem com uns abdominais estonteantes. Verdade seja dita, vai aumentar a vossa confiança e fará bem aos dois!

7. Levar à letra certos ditados, a vida não é perfeita mas devemos agradecer o que temos. Ele foi o melhor que me aconteceu nos últimos tempos.

Nota: Fora brincadeiras, sejam felizes e principalmente RELATIVIZEM! (na verdade escrevi isto para mim, para apontar e não me esquecer destes pontos importantes, mas gostava mesmo de receber feedback vosso!)

Deixe um comentário